SOU entre as 100 PMEs que mais crescem no Brasil em 2016

A SOU está entre as PMEs que mais crescem no Brasil em 2016, posicionados como a QUINTA empresa que mais cresce no Brasil e a SEGUNDA que mais cresce em São Paulo, segundo pesquisa apontada pela Revista Exame e Deloitte. No ano passado, a SOU foi rankeada com a 22ª da pesquisa.
Veja a lista completa das PMEs que Mais Crescem no Brasil:
Baixe aqui o estudo completo 2016
Ranking 2015
Os destaques dos resultados na edição 2016 foram:

  • Continuidade dos investimentos
  • Busca por eficiência
  • Monitoramento de desempenho e mercado
  • Governança corporativa
  • Foco na sustentabilidade do negócio

A 11ª edição da pesquisa “As PMEs que Mais Crescem no Brasil” aborda a questão: “Como crescer em meio a um momento tão desafiador como o que vivemos recentemente na economia brasileira?”. Certamente essa não é uma resposta fácil, mas as 100 empresas presentes no ranking estão pelo mérito de terem conseguido não apenas encontrar caminhos para avançar em meio à turbulência, mas, ainda, pelos resultados positivos registrados de forma consistente em sua trajetória.
O levantamento “As PMEs que Mais Crescem no Brasil ” tem como objetivo apontar as organizações que mais expandiram seus negócios ao longo dos últimos três anos completos (2013, 2014 e 2015) e identificar os principais determinantes para o seu crescimento.
Como crescer em meio a um momento tão desafiador como o que vivemos recentemente na economia brasileira? Certamente essa não é uma resposta fácil, mas as 100 empresas presentes neste ranking estão pelo mérito de terem conseguido não apenas encontrar caminhos para avançar em meio à turbulência, mas, ainda, pelos resultados positivos registrados de forma consistente em sua trajetória.
Ao total, 250 empresas se inscreveram para participar do estudo e 100 delas foram classificadas para o ranking.
Os critérios para qualificar as organizações foram:

  • Estar em fase operacional, no Brasil, há mais de cinco anos;
  • Possuir receita líquida entre R$ 5 milhões e R$ 450 milhões em 2015;
  • Não estar vinculada a grupo empresarial com receita líquida igual ou superior a R$ 2 bilhões em 2015, independentemente da origem de seu capital.

Por mais um ano consecutivo, predominam no ranking as empresas familiares, com 72% de participação. Entre os setores de atuação, o de Tecnologia da informação (TI) foi o mais representativo, respondendo sozinho por 40% da amostra, o que reflete uma característica histórica desse estudo ao longo dos anos.
Matéria da Exame: http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1121/noticias/como-foi-elaborado-o-ranking-das-pmes-que-mais-crescem
Matéria da Deloitte: http://www2.deloitte.com/br/pt/pages/strategy/articles/pmes.html
 
——————
www.sou.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *