Como elaborar (e cumprir) o plano de carreira

Planejamento é a palavra-chave para quem quer desenvolver o protagonismo de carreira, essa qualidade tão desejada pelo mercado atualmente. Apesar disso, é comum que ferramentas que facilitam a execução desse protagonismo sejam subutilizadas ou, até mesmo, ignoradas pelos profissionais. O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) é uma delas.
Oferecido pelos principais sistemas de RH informatizados, como o SuccessFactors da SAP, o módulo não é exatamente uma novidade, mas algumas empresas têm dificuldades para inseri-lo na rotina de seus funcionários. As experiências relatadas por quem se frustra com o PDI são parecidas. Confira se você reconhece a seguinte sequência de cenas:

  1. em uma reunião de feedback, o gestor diz quais aspectos o profissional precisa melhorar para ter um desempenho excelente;
  2. o colaborador concorda com uma série de ações para desenvolver as competências ressaltadas e as registra no PDI. Pode ser um treinamento específico oferecido pela própria empresa, ler um livro ou se matricular em um curso de inglês;
  3. ambos esquecem do plano de ação combinado e os objetivos traçados se perdem tão rapidamente quanto resoluções de ano novo.

A questão é que gestores acumulam cada vez mais funções e nem sempre têm tempo para acompanhar o passo-a-passo do PDI de sua equipe. Por isso, é indispensável que cada profissional assuma as rédeas de seu próprio desenvolvimento e não espere uma “chamada do chefe” para encarar com seriedade as metas e prazos traçados. O PDI, quando utilizado proativamente pelo seu dono, pode ser um excelente aliado. Depois de registrar os objetivos, o profissional precisa acompanhá-los periodicamente, mantendo-o atualizado com suas ações e, quando necessário, alterando as estratégias.
Uma tendência recente para cumprir metas é o bullet journal, um diário em tópicos escritos à mão que segue um método de organização criado pelo designer americano Ryder Carroll. Ele mostra que o segredo para lembrar de um plano é estar em constante contato com ele.  Os adeptos do caderninho relatam que passaram a se organizar melhor e atingir seus objetivos por serem lembrados deles constantemente, já que o método exige que o usuário reserve tempo para se dedicar ao planejamento de suas ações futuras.
O bullet journal é uma ótima alternativa para quem prefere se organizar no papel, mas o efeito de organização não é prerrogativa exclusiva do caderno. Segundo EJ Musicampo, professor de psicologia da Wake Forest University (EUA) especializado no estudo técnicas de organização, é sempre benéfico gastar tempo para se planejar. “Se você reserva um momento para fazer um plano específico para atingir um objetivo não-concretizado e que o preocupa, você se livra dessa ansiedade”, disse ao jornal inglês The Guardian. Que tal dar uma olhada no seu PDI e começar a realizar os planos traçados?
 


www.sou.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *