Tudo que você precisa saber sobre soft skills

Antes de tratar da importância das soft skills no momento em que estamos, vou começar com as hard skills, que são as habilidades técnicas geralmente aprendidas por qualquer pessoa, com estudo e prática ao longo do tempo.

Em outras palavras, é o que o profissional aprendeu e sabe fazer.

Entenda sobre as Hard Skills

Em um exemplo hipotético, alguém que estudou e se especializou em contabilidade e contém muitos anos de experiência, é considerado um profissional com a hard skill contabilidade, o que lhe garante conhecimentos específicos para desenvolver as atividades e rotinas pertinentes de um departamento contábil.

Agora, imagine este mesmo profissional sofrendo constantemente grandes pressões externas distintas à sua função, como:

  • uma pandemia de escala global;
  • o medo de ficar e ter seus familiares doentes;
  • o medo de perder o emprego;
  • período de quarentena e isolamento social;
  • lidar com atividades domésticas;
  • lidar com a educação dos filhos;
  • gerenciar suas atividades no ambiente doméstico, cheio de distrações;
  • a ausência da rotina de trabalho e dos colegas para trocas;

Diante de pressões como estas, a especialização e a proficiência do profissional (hard skill) na sua função não são suficientes para garantir a qualidade e manutenção das suas relações e sua rotina.

Qual o papel das soft skills?

São as soft skills que atuarão como pilares de sustentação para que o profissional dê conta de intercorrências externas sem comprometer sua eficiência.

Consideradas habilidades comportamentais e emocionais, as soft skills permitem que o profissional navegue em meio à tempestade, mantendo o foco, a produtividade e sem surtar, uma vez que estão diretamente ligadas à sua inteligência emocional.

A importância das soft skills não é algo recente. O relatório “Futuro do Trabalho” de 2020 (antes da pandemia) já as elencava, tendo em vista a complexidade do mundo e as relações interprofissionais:

O que podemos esperar do agora?

O momento de pandemia ao qual  estamos atravessando vem colocando à pronta as softs skills dos profissionais em geral, pois eleva à máxima potência os níveis de estresse diante das incertezas, do aumento da fragilidade econômica, o atendimento à novas e inesperadas necessidades, a preocupação com a própria saúde, com a saúde de seus familiares, a fusão da vida pessoal à profissional por conta da quarentena e por aí vai.

Apesar de tratar-se de um momento de crise global, cada um de nós está respondendo a este momento de forma individual. Enquanto muitos estão paralisados pelo medo, outros estão se reinventando. E o que determina o polo da reação são suas soft skills, uma vez que elas ditam sua capacidade em sentir, controlar e responder de forma assertiva às suas emoções.

Destacamos a seguir, as soft skills mais requisitadas neste momento de pandemia:

  • Empatia

Trata de entender e respeitar os obstáculos e dificuldades de cada um.

Uma pesquisa da consultoria de recrutamento Robert Half ouviu em profundidade 240 funcionários de empresas que estão fazendo home office no Brasil e concluiu que só 39% consideram que estão passando pela experiência sem enfrentar qualquer problema.

Entre os demais, 19% apontam a presença de familiares em casa como a principal dificuldade, enquanto 16% citaram as “distrações” em geral e 7% apontaram as falhas de comunicação com as equipes, causadas por problemas de conexão ou pela falta de dispositivos adequados.

“A principal regra para liderar neste momento é a capacidade de se colocar no lugar de cada um do seu time”, observa Marcelo Furtado, CEO e fundador da Convenia, empresa que oferece soluções para automatização do departamento pessoal.

“Em meio a uma crise as pessoas precisam saber, em primeiro lugar, que estão seguras. Para isso é essencial que as lideranças absorvam incertezas e não

descarreguem as suas próprias dúvidas e anseios no time”, acrescenta.

A empatia extrapola as relações para além da própria empresa, auxiliando no relacionamento com seus clientes ao identificar a real necessidade deles.

  • Colaboração

É o momento de oferecer ajuda e buscar apoio, quando precisarmos. O espírito de equipe nunca foi tão importante neste momento, em que estamos todos, cada um ao seu modo, passando por momentos desafiadores.

  • Flexibilidade

A capacidade de se adaptar para sobreviver é condição essencial neste momento. É preciso estar aberto ao novo, considerar outras opções e flexibilizar. O que sempre funcionou bem, talvez agora precise ser mudado para responder melhor à nova realidade e tudo bem.

  • Cultura

Uma pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial no ano passado apontou que as empresas pretendem priorizar as características comportamentais de seus funcionários. Trata-se de uma tendência global.

  • Comunicação

Comunicar-se adequadamente pode definir o sucesso de uma negociação, de uma liderança inspiradora e da manutenção do trabalho em equipe e das relações. Interpretar as próprias ideias, praticar a escuta ativa e se comunicar de forma não violenta tanto verbalmente quanto pela escrita é indispensável a todos os profissionais.

  • Tomada de decisão

O desenvolvimento desta habilidade ajuda na escolha de opções estabelecidas por uma situação crítica. Assumir e gerenciar os riscos de forma positiva em um cenário dinâmico e em constante mudança é essencial.

  • Resiliência

Um profissional resiliente consegue lidar com diversos desafios e contratempos sem se desesperar, adaptando-se às mudanças e tirando o melhor da situação, sem perder o controle por pressão das circunstâncias.

  • Criatividade

Em meio à uma crise, o profissional criativo consegue elaborar alternativas diferentes para alcançar resultados positivos por meio de pensamento crítico.  No mercado, a empresa que consegue propor soluções de forma rápida e inovadora possui vantagem.

Por último e tão importante quanto todas as outras:

  • Inteligência emocional

É a capacidade de administrar as próprias emoções e usá-las a seu favor, além de compreender as emoções das outras pessoas.

O desenvolvimento desta soft skill está relacionada ao autoconhecimento e capacita o profissional a pensar, sentir e agir de forma consciente, sem simplesmente reagir às emoções, o que acaba carretando em arrependimento.

Nestes últimos meses, seguimos entendendo o que está acontecendo e nos adaptando. Depois desta pandemia, teremos que nos reinventar no mercado que está por surgir com novas demandas e novas formas de consumo.

A boa notícia é que todas estas soft skills (e talvez outras que estão por vir) podem ser desenvolvidas e aprimoradas com metodologias, orientações e cursos. Independente da sua habilidade técnica, o autoconhecimento e o fortalecimento das soft skills é fator de sucesso para qualquer profissional deste futuro tão presente.

Quero entender melhor como aplicar as soft skills na minha empresa

Até a próxima,

Juliana Lopes,
Especialista em Educação Corporativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *