Desmistificando o Lifelong Learning

A velocidade e a transformação sem precedentes que vivemos atualmente tem sido palco para diversas novas habilidades e tem nos colocado a prova em muitos sentidos.

Resiliência, inteligência emocional, entre outras habilidades vem sendo cada vez necessárias no profissional atual.

E como aprender tais habilidades, uma vez que as escolas, as universidades focam muitas vezes em um ensinar conceitos e habilidades técnicas deixando as tão faladas soft skills deixadas de lado?

Outro ponto, interessante… Quem de nós nunca ouvimos nossos pais falarem: “Quando você terminar seus estudos” ou “Quando eu terminei meus estudos”, você já parou para pensar que terminar os estudos são uma realidade cada vez mais distante dos profissionais do século XXI?

Os dois exemplos acima mostram como o Lifelong Learning ou educação por toda vida estão cada vez mais parte da nossa realidade.

O que é o Lifelong learning? 

Esse conceito teve seus primeiros movimentos na Europa a partir da década de 1970 e ganha força á partir da década de 1990, conceito esse que foca a educação como um processo perene, e que vai muito além dos momentos onde estamos nas escolas, universidades ou até mesmo em processos formais de aprendizagem dentro da empresa.

A aprendizagem é estimulada de forma voluntária e permanente, trazendo para o desenvolvimento pessoal e profissional do indivíduo um maior protagonismo.

No universo corporativo, o Lifelong learning tem sido estudado e aplicado por diversas empresas que visam fortalecer uma cultura de aprendizagem os todos os colaboradores possam ter acesso a conteúdos que os enriqueça intelectualmente. 

Seja em momentos formais de aprendizagem, bem como em momentos de aprendizagem informais que envolvam: On-the-job training, aprendizagem social e compartilhamento de aprendizagem entre os colaboradores.

Como citamos no início desse artigo, a importância de uma cultura de aprendizagem contínua toca na evolução constante das habilidades e das necessidades as quais as pessoas são expostas no dia a dia profissional.

Não apenas para que a longevidade da empresa possa ser maior, mas também para que os profissionais possam continuar relevantes em um mercado tão competitivo como hoje em dia.

Os benefícios da aprendizagem contínua

A tecnologia tem tido um papel importantíssimo na disseminação e democratização do lifelong learning para as empresas e para as pessoas.

Hoje em dia praticamente todas as pessoas possuem um dispositivo móvel, e esse elemento traz a liberdade do ensino não se restringir a um ambiente de sala de aula.

O EaD (Ensino à distância) se dá por meio do uso de conteúdos digitais de aprendizagem, tais como: e-Learning, podcasts, vídeos, infográficos, entre outros formatos que podem ser acessados pelos dispositivos móveis a qualquer hora e em qualquer lugar.

Os formatos acima, podem ser disponibilizados pelas empresas através de plataformas de aprendizagem, tanto através de cursos formais desenvolvidos ou contratados pelas empresas para desenvolvimento de seus colaboradores, mas também utilizando-se de conteúdos livres, tais como: TED Talks, Youtube, Spotify entre outros conteúdos disponíveis em plataformas, muitas vezes gratuitas e que desde que com a devida curadoria, pode ser riquíssimo para construção de um novo conhecimento.

O Lifelong learning, permite o desenvolvimento de uma nova habilidade ou a aprimoração de uma habilidade já existente, isso funciona para uma habilidade do mundo corporativo ou para aprender um novo esporte, atividade, tecnologia entre outras possibilidades.

O mais importante para o Lifelong Learning é que haja: Pró atividade, curiosidade e automotivação para que o colaborador possa se desenvolver, DE FATO!

Lifelong Learning, por onde começar?

Colocar em prática o Lifelong Learning em sua organização passa pela adoção dos quatro pilares desse conceito: 

  • Aprender a Conhecer 

Aprender a aprender é um dos principais desafios de uma cultura de Lifelong learning. Ser curioso é fundamental e quanto mais prazeroso o assunto for melhor, pois isso impactará diretamente a atenção e a memória, contribuindo assim com a melhora da retenção do conhecimento.

Combinar estudos pontuais com estudos profundos também contribui E MUITO com a cultura de uma aprendizagem por toda a vida.

  • Aprender a Fazer

Sem dúvidas é importante saber a teoria para construir um processo robusto de aprendizagem, no entanto, a prática é fundamental e garantirá que o conhecimento adquirido possa ser reforçado e se torne um hábito.

Nesse cenário é importantíssimo que o colaborador tenha espaço para desenvolver as habilidades que ele adquiriu e que sejam necessárias para o trabalho a ser desenvolvido.

  • Aprender a conviver

Colaboração é indispensável atualmente. Sem dúvidas as pessoas têm muito a aprender e a ensinar uns aos outros. Nesse contexto as trocas e a colaboração que o social learning colabora de forma ativa a construção de um conhecimento cada vez mais profundo.

  • Aprender a Ser

É fundamental ter autonomia para estudar a aprender novas coisas, colocar em prática o que foi ensinado, eventualmente errar, corrigir os erros e com isso criar um ciclo virtuoso de criação e inovação que nos leva a um novo patamar, esse é o desenvolvimento humano, pilar extremamente importante para elevar nossos conhecimentos.

O mundo está em transformação e com a educação não é diferente. A velocidade e quantidade de informações, nos coloca em um momento de oportunidades jamais antes vista, e assumir uma postura protagonista cabe a cada um de nós.

Conheça mais sobre Lifelong Learning e entenda como a SOU pode ajudar seus colaboradores a serem excelentes profissionais, com a mentalidade de eternos aprendizes. 

Boa leitura,

Bruno Falcão,
Head de Negócios