04 ações para melhorar o processo de reskilling de uma habilidade

ações reskilling

De fato, nos últimos tempos, os profissionais vêm buscando o desenvolvimento constante, seja se aplicando a novas habilidades e conhecimentos, ou desenvolvendo habilidades já existentes. O profissional moderno precisa ter como uma de suas principais características essa sede por aprender, e a educação nunca esteve tão em evidência.

Já abordamos em alguns de nossos recentes conteúdos sobre lifelong learning, e a importância desse conceito, seja no ambiente corporativo ou na vida pessoal.

Entendendo o Reskilling

 

Quando o assunto é reskilling, que em uma tradução livre, significa você reciclar uma habilidade ou conhecimento já existente, muitas vezes essa reciclagem é colocada em segundo plano, frente a uma chuva de novas informações e novos conhecimentos que são colocados como opções para as pessoas todos os dias.

A reciclagem de uma determinada habilidade é um momento importantíssimo, pois novos conceitos e informações podem ser inseridos, e esse processo não precisa ser maçante.

Se construir uma nova aprendizagem é uma tarefa gostosa e divertida. Reciclar, muitas vezes pode ser encarado como um processo chato, já que você está trazendo informações sobre um tema já conhecido… Mas não precisa ser assim! 

O reskilling pode acontecer de diversas formas, e a tecnologia se torna um aliado extremamente importante nesse processo, por isso a seguir quero compartilhar algumas ideias, sobre como tornar o processo de reskilling mais eficaz e fluido para seus colaboradores.

 

As 4 ações colocadas em prática

 

  • Desperte o interesse genuíno

Primeiramente, é importante que exista uma comunicação bastante efetiva a respeito da importância de reciclar o conhecimento, e não apenas sobre temas obrigatórios, mas você aprofundar conhecimento em temas e habilidades já existentes.

É importante para que o processo aconteça e os resultados sejam impactantes que os colaboradores tenham uma visão clara dos benefícios com essa reciclagem.

  • Engage no processo

Engajar os colaboradores nesse processo é fundamental. Utilizando-se de ferramentas e metodologias, como por exemplo a gamificação, é uma forma extremamente moderna e poderosa de conseguir alcançar um engajamento muito acima do esperado.

  • Inove nos formatos 

Existem atualmente, diversos formatos que favorecem o Reskilling, tornando-o mais leve e divertido, dentre os principais formatos, destacam-se:

Microlearnings: O uso de microlearnings em vídeos e leituras curtas, pode tornar o processo mais dinâmico e divertido, e esse processo pode ser ainda mais aprofundado, com uso de microlearnings ativos, baseando-se na análise do gap de aprendizagem nos determinados temas e envio dessas pílulas que complementem exatamente aquele conhecimento faltante para o colaborador.

Podcasts: Trazer discussões em um formato de podcast, pode fazer com que a reciclagem esteja mais associada a uma troca, uma entrevista com um especialista ou algum debate, o que apresentará um dinamismo muito maior e o treinamento será percebido como algo que mais do que ensinar entreterá aqueles que estiverem ouvindo. Outro ponto importante do podcast é que dado a sua simplicidade (um arquivo de áudio), ele pode ser consumido a qualquer hora e em qualquer lugar.

Game Learning: Esse formato é interessante, pois ele traz a possibilidade de você colocar em prática seus conhecimentos, aplicando-os na resolução de uma situação problema muitas vezes reais. Além da possibilidade de praticar o conhecimento em um ambiente controlado, os elementos de game, irão apoiar no engajamento do colaborador.

  • Coloque o colaborador no centro da aprendizagem

Nada novo, mas muitas vezes o simples fato de inverter o formato como o treinamento é aplicado, poderá impactar extremamente o resultado alcançado pelo colaborador e pela organização.

Já imaginou usar sala de aula invertida em seus treinamentos de reciclagem? As plataformas de LXP, permitem que possamos construir jornadas que tenham essa metodologia aplicada na prática, criando ambientes de prework, momentos presenciais/ ao vivo e momentos de prática.

Uma trilha de aprendizagem pode mesclar momentos online com momentos presenciais, momentos teóricos com momentos práticos e essa diversidade refletirá diretamente nos resultados.

Conheça mais sobre Upskilling e Reskilling e entenda como a SOU pode ajudar seus colaboradores a se adaptarem a novas rotinas de aprendizado. 

 

Boa leitura,

Bruno Falcão,
Head de Negócios