Já pensou em oferecer aprendizagem no fluxo de trabalho?

A atualização de conhecimento dos colaboradores pode se dar de diversas maneiras e nem sempre está vinculada apenas a um desenvolvimento de competências complexas. Afinal, existem dúvidas do dia a dia de trabalho que, se sanadas com rapidez, garantem agilidade e mais performance nas atividades dos funcionários.

Partindo dessa necessidade, criou-se o conceito e a prática da aprendizagem no fluxo de trabalho. O termo foi batizado por John Bersin, profissional da área de Recursos Humanos nos Estados Unidos.

Trata-se, basicamente, de proporcionar momentos ou ferramentas para sanar questões da rotina de profissionais recém-chegados ou não à empresa. Quer entender mais sobre como implantar esse conceito na corporação? É só continuar a leitura!

Estruturas básicas para oferecer aprendizagem no fluxo de trabalho

Ainda de acordo com a teoria de John Bersin, existem quatro estruturas básicas, conhecidas como: os 4 E’s, que pautam a aprendizagem do fluxo de trabalho:

  1.       Experiência

Esse é o nível mais simples e orgânico, uma vez que novas atribuições, atividades e ferramentas desencadeiam um processo de aprendizagem no fluxo de trabalho. Mas, para além disso, também é possível pensar em maneiras de fortalecer esse método: job rotation, por exemplo, é uma possibilidade interessante.

  1.       Educação

Aqui fazemos referência ao modelo formal de aprendizagem no fluxo de trabalho. O treinamento corporativo com conteúdo pré-definido é, com certeza, a forma mais conhecida de desenvolver funcionários.

  1.       Exposição

O tópico diz respeito à colaboração entre os times. Nelas cabem os feedbacks espontâneos, assim como a política de feedback da empresa, que determina momentos oficiais para esses acontecimentos. É um caso clássico de aprendizagem no fluxo de trabalho. Não temos a menor dúvida de que é uma etapa natural do processo de trabalho.

  1.       Ambiente (environment – em inglês)

No último item indispensável para aplicar a aprendizagem no fluxo de trabalho, é importante oferecer ferramentas para que as etapas citadas acima ocorram com rapidez e eficiência.

Aprendizagem no fluxo de trabalho na prática

Agora que já conhece as estruturas de apoio da aprendizagem no fluxo de trabalho, vamos contar algumas maneiras de trazer isso para o dia a dia da empresa, de forma intencional.

  1.     Microlearning

Esse tipo de conteúdo pode ser feito via redes sociais (como o WhatsApp) e até mesmo por uma plataforma apropriada para treinamento corporativo, como um LMS. O objetivo é trazer cápsulas com informações úteis. 

Digamos que a empresa é do ramo financeiro: criar um dicionário com jargões da área, para que todos dominem a linguagem do mundo de investimentos, é um exemplo do que pode ser feito.

  1.       Espaço orgânico colaborativo

Uma ferramenta LMS pode ser ideal para troca orgânica de informações entre especialistas, estagiários e profissionais sêniores, plenos e juniores. Imagine o tempo ganho ao esclarecer uma questão que levaria dias para ser solucionada individualmente.

  1.       Simples e eficaz

Utilize o e-mail corporativo para oferecer conteúdo importante para o dia a dia dos funcionários. Como fazer determinada tarefa, utilizar certo sistema e outras opções informativas. 

Se interessou?

Fale com a SOU! Estamos prontos para ajudar sua empresa a integrar conhecimento na rotina dos colaboradores.

Deixe uma resposta